Seu mix de produtos de materiais de construção está completo?

Como se constroem a cozinha, a casa e o escritório dos sonhos? Muitas vezes o cliente chega à sua loja de materiais de construção querendo uma resposta para essa pergunta, mas sem uma lista de marcas específicas na cabeça.

Mas até que ponto essas dicas não mascaram a falta de opções à qual o consumidor é submetido quando o mix de produtos se torna limitante?

Você já parou para avaliar seu portfólio? Quantos são os possíveis clientes que acabam virando as costas por não encontrarem uma determinada marca ou item? Como vender mais, mesmo não contando com todas as opções disponíveis no mercado?

São muitas as perguntas. Por isso, vamos reunir aqui alguns critérios para que você monte ou reelabore o mix de produtos da sua loja de materiais de construção. Só de tubos e conexões são dezenas de marcas espalhadas em todo Brasil. Mas você sabia que a minoria tem certificado? Algumas nem seguem os padrões estabelecidos pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). E esse é um pré-requisito importante para os construtores!

Hoje, de acordo com o Sebrae, uma loja pequena, deve ter em torno de 400m², com um investimento de R$ 190,00 mil. Isso não inclui a compra de produtos. Esse valor vem do capital de giro.

“Na hora de fazer as compras do estoque o empreendedor dever ficar atento para a

qualidade dos produtos e não correr o risco de comprar um problema, como por

exemplo: produto fora de linha e produto de ponta de estoque”.

Mas afinal, quais itens e o que não pode faltar nos produtos selecionados pelo material de construção?

Fizemos uma lista de características e de compras!

Confira!

1 – Diversidade de materiais de construção

Se a sua loja de materiais de construção tem, pelo menos, três opções de marca para cada item, com certeza o cliente está bem servido. Assim, você tem a opção oportunidade de oferecer:

  • O produto top de linha, geralmente mais caro;
  • O item de melhor custo benefício;
  • E o mais barato do mercado.

E se encontrar um produto de alta qualidade, que seja também o mais barato, não deixe de ter sempre esse fabricante à mão. Ele fará sua boa fama!

Além disso, leve em consideração que quem está construindo necessita de vários materiais e, em geral, não se desloca para um estabelecimento para adquirir somente um produto. Portanto, é imprescindível que exista em estoque, desde itens necessários para o fundamento da obra até seu acabamento.

2 – Cliente precisa se sentir atraído

Sabe aquela cara de lugar sombrio?

Pode afastar esse modelo de loja do seu cliente. Renove o ambiente, investindo em iluminação e tons neutros de tinta, móveis e gôndolas. Afinal de contas, a organização da loja é um dos segredos de como vender mais, valorizando os fabricantes.

De maneira geral, os clientes buscam dispor de opções e desejam chegar em um local onde possam encontrar diversas marcas, comparando o que estas podem oferecer. Mas quando se sentem perdidos na loja, acabam tendo uma experiência ruim. Precisam da ajuda de vendedores e nem sempre os encontram. O que só piora a situação.

Sabemos que uma das tarefas mais difíceis para um proprietário de materiais de construção é atrair o cliente até seu estabelecimento. Isso requer investimento em propaganda. Mas quando a desorganização impera, fica difícil conseguir o retorno esperado.

Por isso, organizar a estrutura da loja, ajuda a vender mais materiais de construção!

3 – Vendedores sem vícios

Você conhece algum vendedor de uma marca só?

Sempre que o cliente entra na loja, ele oferta uma ferramenta da marca “X”, tubos e conexões do fabricante “Y”. Durante anos, muitas marcas investiram em propaganda e construíram nome no mercado. Mas há novos produtos tão bons quanto esses tops de linha e que podem aumentar a sua margem de lucro.

Então, evite que os vendedores tenham esse tipo de abordagem que parte das próprias preferências! Você precisa vender o que tem em estoque. Pois manter muitas mercadorias armazenadas não é vantajoso para a liquidez do seu negócio. Conheça bem o perfil do cliente, colete dados sobre os produtos de maior saída, mas não deixe a sua estratégia se perder em vícios de trabalho adquiridos pelos vendedores ao longo de anos de experiência.

Capacitações internas e feedbacks constantes são a melhor forma de construir uma boa equipe!

4 – Produtos de qualidade X propaganda

Em um passado não muito distante, conforme mencionado anteriormente, as propagandas associavam o significado de qualidade como sinônimo de algumas marcas. Isso fazia com que empresas que investissem mais em marketing conquistassem uma imagem de superioridade em relação aos concorrentes.

Sabemos que Isso não é bem verdade!

Em todas as áreas é possível perceber que o mercado se renova de tempos em tempos. Novos produtos disruptivos entram em circulação e caem nas graças do cliente. Isso porque, são fabricados com algum diferencial, contam com melhores preços e mantém um nível de qualidade elevado.

Quer um exemplo fácil disso?

Talvez não tenha tanto a ver com materiais de construção, mas certamente é um fenômeno exemplar de como a propaganda não é tudo em um negócio. Você já viu como anda o mercado de cervejas?

Ele vem recebendo uma grande quantidade de pequenas empresas, que ganham espaço nas vendas pela qualidade dos produtos. O que gerou uma queda de 3,1% em vendas na receita da maior fabricante no ano de 2018.

Na área de construção civil, isso não é diferente! No setor de revestimentos, de cimentos e de tubos e conexões, por exemplo, fenômeno semelhante tem ocorrido.

As pessoas estão em busca de qualidade. Não são mais tão suscetíveis às propagandas. Por isso, mantenha em seu estabelecimento produtos de excelência, que atendam as normas vigentes com preços justos.

5 – Lista de produtos básicos do mix de materiais de construção

Agora que você já sabe o que os produtos devem apresentar e como sua loja pode ser mais receptiva para o cliente, confira uma lista de itens básicos que não podem faltar nas suas prateleiras. Tenha em mente que você deve oferecer um pouco de tudo do que foi preciso para montar a cozinha que está na imagem de início deste texto.

Dividimos a listagem em cinco categorias, veja:

1 Materiais básicos de construção

  • Areia;
  • Cal;
  • Cimento;
  • Ferros variados (treliças, vergalhões…);
  • Madeira de caixaria
  • Pedras;
  • Sarrafo;
  • Saibro;
  • tijolo;

2 Instalação hidráulica, tubos e conexões

  • Canos;
  • Torneiras;
  • Massa epóxi;
  • Fita veda-rosca;
  • Sifão;
  • Ralos;
  • Registros.

3 Instalação elétrica

  • Disjuntores;
  • Fios;
  • Fita isolante.
  • Interruptores e espelhos
  • Lâmpadas;
  • Luminárias
  • Quadros de luz;
  • Tomadas e espelhos

4 Acabamento

  • Cimento de cola;
  • Desempenadeiras;
  • Ferragens;
  • Gesso.
  • Massa corrida;
  • Revestimentos para chão e parede;
  • Rolo de pintura;
  • Soleiras;
  • Tintas;

5 Ferramentas

  • Alicate;
  • Carrinho de mão;
  • Chaves de fenda;
  • Colher de pedreiro;
  • Enxada;
  • Furadeira;
  • Martelo;
  • Nível;
  • Pá;
  • Parafusadeira;
  • Pregos;
  • Serras manuais e elétricas;
  • Trena.

O que achou dessas dicas? Seu mix de produtos é tão o mais completo do que ela? Acrescentaria algum item à nossa listagem?

Comente! E não deixe de ajudar o seu cliente com dicas de reforma e materiais de construção de qualidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.